O que o cérebro prefere? Livro de papel ou eletrônico? pelo Dr. Ricardo Teixeira

Dizem que o papel é melhor, mas nos tablets o cérebro faz menos esforço.

.BookBookiPad_stack_gallerymain_v3

 

 Por Dr. Ricardo Teixeira*

Jovens e idosos dizem que a leitura de uma folha de papel é mais agradável e legível do que em versões eletrônicas. Porém, entre os idosos, o cérebro faz menos esforço lendo num tablet do que num leitor de livro digital ou numa folha de papel. Essa é a conclusão de um estudo conduzido por pesquisadores alemães e publicado esta última semana no periódico PLoS ONE.

 Dois grupos de voluntários, jovens (25.7 anos em média) e idosos (66.8 anos em média), foram monitorados enquanto liam um mesmo conteúdo de três formas diferentes: folha de papel, iPad e Kindle. A atividade cerebral que reflete o esforço mental para uma atividade foi monitorizada pelo eletrencefalograma enquanto os movimentos dos olhos e seu tempo até a fixação na leitura também eram medidos.

 Após a experiência, jovens e idosos acharam a experiência com a folha de papel mais agradável e legível do que com os aparelhos. Entre os jovens, o esforço mental e rapidez de fixação do olhar não foram diferentes nas três diferentes formas. Já entre os idosos, esses parâmetros foram mais fáceis quando a leitura era feita no iPad, contrariando a resposta que deram no questionário.

 Um forma de explicar esses resultados é o fato do iPad ter um melhor contraste entre o texto e o fundo. Para os jovens isso não faz diferença, mas para os idosos pode ser um empurrãozinho relevante. Mas, porque mesmo assim eles respondem que o livro foi mais agradável? Desconfiança de novas tecnologias? Provavelmente aí existe um forte fator cultural.

 * Dr. Ricardo Teixeira é doutor em neurologia pela Unicamp e neurologista do Instituto do Cérebro de Brasília – IBC  | Recebido por e-mail do IBC

Sobre Jackson Guterres

Sou um Cientista Cristão brasileiro atuando como Praticista da Ciência Cristã na cidade de Salvador, capital da Bahia, no Brasil.
Esse post foi publicado em CÉREBRO, IBC, NEUROCIÊNCIA e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s