A excelência do novo Arquivo Público do Estado de São Paulo!

Sei que não é novidade para a Arquivologia nacional, mas como esse é um blog aberto também aos “leigos interessados” então vale esse post para celebrar uma gloriosa conquista de todos os paulistanos, e, por que não dizer de todos os brasileiros também: a recente inauguração do prédio novo do Arquivo Público do Estado de São Paulo. Congratulações São Paulo pelo bom exemplo de excelência em Arquivologia e respeito ao patrimônio documental e memorial que vocês deram!

Quem estuda Arquivologia, sabe bem que uma coisa é “depositar” documentos em um local e passar uma falsa impressão de que existe cuidado, preservação e qualidade de acondicionamento e controle de temperatura e umidade. Outra coisa bem diferente é ter uma política de arquivos, através de uma Gestão Documental efetiva e transparente, que contemple o respeito a todos os princípios arquivísticos, incluindo um que, muitas vezes parece passar despercebido: o princípio da territorialidade.

Nos novos tempos da LAI – Lei de Acesso à Informação, torna-se ainda mais mister que o patrimônio documental de cada região, cidade, estado, país, seja preservado no “locus” onde foi gerado, pela simples razão da pertença cidadã. Depósitos artificiais e não naturais de acervos em depósitos centralizados pecam pelo volume, despreparo técnico para preservação e falta de investimento em tecnologia de preservação no longo prazo – digitalização ou microfilmagem, além de centralizar custos que deveriam ser rateados com as governanças das cidades onde foram produzidos os documentos, em função do alto interesse histórico e cultural, além de memorial da maioria dos acervos públicos.

Privar o cidadão de seu patrimônio documental, local, seja qual for a justificativa, é algo que conspira contra o avanço da democracia evoluída, violenta o Direito de Acesso – agregando complexidades e demoras inexplicáveis – e, acima de tudo, é uma demonstração de total desconhecimento dos avanços sociais globais no âmbito da Arquivologia, expresso na Declaração Universal sobre os Arquivos, elaborada pelo Conselho Internacional de Arquivos – CIA – hoje traduzido em 20 idiomas, incluindo uma tradução bi-lateral dos Arquivos Nacionais de Brasil/Portugal.

Mais detalhes sobre o Arquivo Público do Estado de São Paulo, incluindo as inovações usadas na tecnologia de construção predial acesse:

Vídeo reportagem de 4 min do programa Antena Paulista da Globo: 1-julho-2012

Arquivo Público ganha prédio sob medida. Veja São Paulo – 13-junho-2012

Abaixo o cartaz sobre a recente abertura para o público:

Sobre Jackson Guterres

Sou um Cientista Cristão brasileiro atuando como Praticista da Ciência Cristã na cidade de Salvador, capital da Bahia, no Brasil.
Esse post foi publicado em ARQUIVÍSTICA SOCIAL, ARQUIVO PÚBLICO DE SÃO PAULO, ARQUIVO SOCIAL, ARQUIVOLOGIA, ÍCONES DA ARQUIVOLOGIA NACIONAL e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s