As 20 profissões que estão em processo de extinção até 2020. Réplica de um Arquivista!

Tenho uma conta no Yahoo, mas lamento o fato de que, no afã de traduzir matérias de revistas estrangeiras, não haja o devido cuidado para não afirmar coisas não condizentes com a realidade nacional.

Refiro-me a uma lista como as 20 profissões que estaria entrando em processo de extinção gradativa até 2020 que eles reputam a autoria à revista Forbes, onde está mencionada a profissão de Arquivologista ou Arquivista. Porque não falar na profissão de Jornalista que estaria em franca ameaça – chegando até a perder a necessidade de diplomação. Também o índice de demissões está crescendo muito no Brasil, (vide: Jornal da Tarde demite mais de 20 jornalistas ). Vários jornais, ao nível global, já estão migrando para a plataforma do web jornalismo. Conforme a tendência comunicacional e informacional do IIIº Milênio, com base no crescente uso de Blogs, das Redes Sociais, e considerando o modo como as pessoas estão se comunicando e consumindo informações,  grandes mudanças estão acontecendo e poucos estão conseguindo ver. Quem não se atualizar ou ter uma ideia básica da dinâmica do Mass Self Communication de Castells, infelizmente vai perder o sentido de sua profissão, ainda mais se é da área de comunicação!

Eis uma parte do texto do Yahoo:

“A revista norte-americana Forbes, especializada em economia e finanças, divulgou recentemente lista que indica uma previsão de profissões que serão extintas gradativamente até 2020. A pesquisa foi baseada em dados apresentados pelo governo americano que prevê um desgaste considerável no número de profissões que exigem baixa qualificação do profissional, como assistentes administrativos, costureiras, agricultores, técnicos e operadores de computadores, entre outras.”

Uma crítica: Se a pesquisa foi baseada em informações do governo americano, então pode ser um indício preocupante, por que, ao não valorizar a profissão de Arquivista, está sendo realizado uma assinatura de que o patrimônio documental americano, bem assim a relevante questão da preservação digital, brilhantemente contemplada no projeto  internacional Interpares, é algo que não tem sido dada a real importância  que esse assunto requer por parte dos governantes. Afinal a informação é uma pertença cidadã, e os Arquivista, estão aí para colaborar com seus conhecimentos como resolver a equação sem resposta, da preservação digital no longo prazo. Porque será que os EUA ainda não aderiu ao Interpares?

Proposta de correção: Essa informação apresentada pelo Yahoo Educação, não se sustenta na prática, e, é bem provável que não tenham a noção correta do que faz um Arquivista, talvez nunca acessaram o portal do Conselho Internacional de Arquivos ICA, nem tem a menor ideia de que, como toda profissão da área da Ciência da Informação, há um esforço no sentido de atualização e aprendizado constantes. Um exemplo seria a proposta de uma “Arquivística Social” ou seja que tenha a capacidade de adaptar-se as novas realidades da produção documental via Web 2.0; tenha preocupação com metodologias de preservação do crescente volume de imagens digitais; desenvolva arquivos digitais que oferecem os documentos digitalizados e descrições arquivísticas online.

No Brasil, novos cursos de Arquivologia estão sendo criados justamente para atender o crescimento da demanda. O Ministério da Educação autorizou a abertura de 369 vagas para professores de Arquivologia. O CNJ publicou uma recomendação que sugere que todos os tribunais tenham Arquivistas em seus quadros. E até o Senado abriu 5 vagas com salário em torno de 19 mil reais.

Em resumo, incluir a profissão de Arquivista na lista dos 20 profissões que sumiram até 2020, considero quase como uma ofensa à consciência social, que cresce na exata medida que cada cidadão valoriza o patrimônio documental e que o acesso a essas fontes primárias serão sempre necessários à pesquisa, ao suporte de notícias, documentários e até para a tese da interpretação social, como apontou Terry Cook, no seminário sobre Arquivologia e Memória na Universidade de Duke, em fins de 2011. Outro ponto, talvez esquecido, dessa matéria do Yahoo é que é pela via dos Arquivos que temos um caminho para chegarmos a reparação, ao encontro da verdade, justiça e memória, como o recente conquista da abertura dos arquivos da ditadura.

Bem estamos aí na luta! Enquanto isso os Arquivistas, o Arquivo Nacional, o CONARQ, continuam a produzir recomendações que garantem no presente, o que em 2020, ainda deve estar preservado arquivisticamente correto! E quem sabem aproveitamos o ensejo para que outros profissionais, que costumam desdenhar os Arquivistas, abram a porta para quem está se preocupando com Modelos de Requisitos, e-Arq Brasil, só para citar dois exemplos à partir dos quais o conhecimento e respeito vai possibilitar que as informações sejam acessadas por todos, no exercício do direito de acesso, promovendo a interoperabilidade de troca de informações entre diferentes bancos de dados à luz do novo paradigma do processo eletrônico! 

Ah, aproveito para sugerir ao Yahoo, que aprimore seu site para que os usuários ao tentar postar um comentário não dê erro – e olha que esses profissionais não estão contemplados na listagem das 20!

Referências:

O Arquivista é um ator social interativo no agora, mas vidrado no amanhã

PROJETO INTERPARES

TCC 2011: A arquivística social expressa na DUA: o caso da ASF

Profissões que estão acabando. Yahoo Educação 2-7-2012

Sobre Jackson Guterres

Sou um Cientista Cristão brasileiro atuando como Praticista da Ciência Cristã na cidade de Salvador, capital da Bahia, no Brasil.
Esse post foi publicado em ARQUIVÍSTICA SOCIAL, ARQUIVOLOGIA, Réplica de um Arquivista, YAHOO EDUCAÇÃO e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para As 20 profissões que estão em processo de extinção até 2020. Réplica de um Arquivista!

  1. Vanderlei Santos disse:

    A despeito da pertinência inequívoca dessa análise, acredito que a justificativa do texto é algo bem mais simples. Nos EUA a profissão está dividida entre dois profissionais: archivists e record managers. Observemos que o record manager não está entre as profissões listadas. Há um equívoco, como você bem observa sobre a qualificação de ambos os profissionais e, mais ainda, de que os arquivistas – no escopo norte-americano – não precisam de conhecimento tecnológico para gerir e dar acesso aos acervos sob sua guarda, afinal, os documentos digitais não são, comumente, lembrados como pertencentes aos arquivos públicos. Esta é uma análise que – mesmo que não fosse equivocada – não se aplicaria ao caso brasileiro, cujo termo “arquivista” designa tanto o profissional que atual nos arquivos permanentes quanto aqueles que trabalham nas demais faces do ciclo documental, englobando as responsabilidade e necessidade de formação de ambas as especializações da “América” estadunidense.

  2. Grato Vanderlei pela inteligente e oportuna ponderação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s