Dia mundial da Internet: o antes, o durante e o depois da Web 2.0

Compartilho uma produção da Discovery Channel, que sintetizou toda a história e evolução da Internet, é muito legal, penso que poderíamos chamar de um belíssimo memorial digital sobre os valorosos pioneiros que, com inteligência e visão, contemplaram uma esfera pública virtual sem fronteiras! Têm mini-vídeos/documentários curtíssimos com entrevistas antigas a esses pioneiros, compartilhe com seus entes queridos, porque é um documento histórico bem completinho! Para acessar clique: A Internet

Uma das informações impactantes que constam nessa produção é uma estimativa de que, em 2015, seremos no Globo, em torno de 2 bilhões de usuários! Pare e pense só um pouquinho no imenso potencial de intercomunicação e interação dessa rede mundial sem fronteiras e a gama de possibilidades que abrem-se para a proliferação de boas ideias?

Pierre Lèvy, sociólogo e filósofo da informação tem pesquisado e nos mostrado novos universos de conhecimento que ele chama de cibercultura, num ciberespaço, no rumo de uma “ciberdemocracia interplanetária”. Recomendo o livro: “O futuro da Internet: em direção a uma ciberdemocracia interplanetária” onde o Prof. Dr. e pesquisador da Faculdade de Comunicação da UFBA, André Lemos traduziu Lèvy e nos apresenta conceito novos e valorosos como o de: “esfera pública” global, que sugere uma substituição ao termo local: “opinião pública”.

Como Arquivista Social, minha principal preocupação, fazendo uma correlação com a entrada em vigor da LAI- Lei de Acesso à Informação, no dia de ontem, é: Porque não usar a Internet, sua potencialidade e possibilidades, como aliadas sociais plenas no processo democrático de transparência, acessibilidade e celeridade dos serviços públicos, notadamente dos serviços de arquivo, viabilizando o acesso à representação digital dos documentos públicos?

O ilustre governador Aécio Neves, há um tempo atrás em seu governo, liberou o uso das redes sociais para os servidores públicos do Estado de Minas Gerais. A iniciativa pioneira desse homem de visão, no meu olhar, foi um prenúncio do que poderá ser o esforço coletivo das instituições para aproximar-se melhor do cidadão, com mais canais abertos de intercomunicação, portais de transparência, desburocratizando, acabando com a “carimbologia”, pois já estamos na onda do processo eletrônico, da assinatura digital e por aí vai…

Infelizmente, os “Estados que ainda estão na Pré-História”, parafraseando o Ministro da CGU, têm feito o contrário, privado os seus servidores até do simples acesso à Internet. Até quando esse isolamento comunicacional do servidor em relação à como a sociedade intercomunica-se vai continuar? Aí vai depender do controle cidadão e da consciência social além do despertar de nossos gestores públicos! Quem sabe nas próximas eleições daremos mais atenção a quem se propor a usar melhor os recursos tecnológicos que estão aí, ao dispor, para democratizar o direito de acesso, a transparência, a celeridade e a comunicabilidade na prestação dos serviços públicos? 

Tenho acompanhado a evolução do uso dos recursos da web pelos órgãos públicos e parabenizo os valorosos pioneiros, que estão dando bom exemplo! Hoje já podemos acompanhá-los em blogs, no twitter e no You Tube. Por que não criar também uma página institucional no Facebook? – proponho uma “página”, não confundir com “grupo” ou simples abertura de uma conta no Facebook, por que são recursos diferenciados!

Algo me diz que o órgão público que for o pioneiro na criação de uma página no Facebook tenderá a fazer muito sucesso, e ficará na história da web nacional como o primeiro a usar esse recurso, ainda pouco explorado, das redes sociais pela governança nas três esferas de poder – federal, estadual e municipal!!!!

No resumo da ópera, todos temos que cooperar para conquistarmos juntos uma maior inclusão digital daqueles que ainda nada conhecem das potencialidades e facilidades da Internet. Outrossim, nutrirmos uma consciência evoluída em relação ao uso mais seguro e responsável da Internet.

Por último, fica um protesto de um cidadão que deseja ver a interatividade da Internet, mais acessível e viável nos novos canais HDTV – das televisões digitais. Existe uma tendência dos lobbies das emissoras em não abrir esse espaço para interação com o público em tempo real, usando as facilidades da Internet com serviço integrado da interatividade nos televisores digitais. Meu protesto resumear-se-á em três simples perguntas cidadãs que não podem calar:

1) Se os canais de televisão são concessões públicas e democráticas, então porque não abrir o espaço para a interatividade online com os telespectadores?

2) De que será que os empresários tem medo? Será que temem o controle social e o retorno em tempo real da vox populi? Mas as programações não deveriam ter como foco o “interesse público”, e, a interatividade não seria algo de relevante interesse do público?

Feliz reflexões, vamos nos manter de olho e feliz Dia Mundial da Internet para tod@s!

Deu na Mídia:
Dia Mundial da Internet é lembrado nesse dia 17 de maio. Portal UOL
Dia Mundial da Internet: a rede tornou a vida mais vulnerável? Portal Terra
Marco Civil da Internet no País pode ser pioneiro no mundo. Jornal do Brasil
 Re-editado 17/5 às 20:44

Sobre Jackson Guterres

Sou um Cientista Cristão brasileiro atuando como Praticista da Ciência Cristã na cidade de Salvador, capital da Bahia, no Brasil.
Esse post foi publicado em DIA DA ESFERA PÚBLICA GLOBAL, DIA DA INTERATIVIDADE, DIA DA INTERNET, DIA DAS TELECOMUNICAÇÕES e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s